Total de visualizações de página

quinta-feira, 7 de junho de 2012






Tarefas


Os Espíritos Puros desempenham missões gloriosas: contudo,
embora as imperfeições que ainda nos assinalam, todos temos
função pessoal e intransferível nas engrenagens do mundo.
Não te afirmes à margem, nem te dês por inútil.
Não alegues impedimento, nem desertes da atividade que a
vida te reservou.
Repara as lições que vertem silenciosas, do livro da natureza.
Se os vermes parassem de trabalhar, por se reconhecerem
insignificantes, o solo ressecar-se-ia, infecundo, incapaz de
solucionar os problemas humanos.
Se as sementes invejassem a posição das árvores maduras e
generosas que lhes presidem à espécie, desistindo, por isso, do
esforço obscuro na germinação e no crescimento, em pouco
tempo a esterilidade anularia os recursos da Terra.
Se as papoulas deixassem de produzir, revoltadas contra
aqueles que lhes deturpam a essência nos mercados de ópio,
deixariam de aliviar as dores do enfermo desesperado.
Se as fontes singelas fugissem de sustentar os grandes rios e
as grandes represas, a pretexto de se notarem humildes, ante as
grossas correntes que lhes formam a imensidade, o homem não
contaria com esse ou aquele maior cabedal de força.
*
Honremos o posto de ação em que fomos localizados.
Diante da Lei, não há serviço aviltante.
As mãos que assinam decretos não vivem sem aquelas outras
que preparam a mesa.
Os braços que conduzem arados são apoios daqueles outros
que movem as máquinas poderosas.
Suor na indústria é sustento de todos.
Asseio na rua é proteção à comunidade.
Não vale amontoar rótulos passageiros, nem atabalhoar-se
com muitos compromissos ao mesmo tempo.
Importa, acima de tudo, fazer bem o que se deve fazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário